quarta-feira, 12 de novembro de 2014

GENERALISTA OU ESPECIALISTA? Qual é o Profissional de TI mais valorizado?



São muitos cursos disponíveis, muito assunto sobre certificações em tecnologias, muitas carreiras a trilhar e se você não parar, respirar, contar até 10 e pensar calmamente, seus pensamentos ficarão ainda mais confusos.

Principalmente após alcançar o nível superior na área de TI, muitas pessoas passam por dúvidas de qual caminho trilhar na carreira: estudar muito sobre algum assunto para ser especialista ou estudar de tudo para ser um “generalista”? Como serei melhor reconhecido no mercado de trabalho?

Muitas perguntas, muita subjetividade e poucas respostas concretas. O mercado de trabalho exige que haja ambos os perfis profissionais, por isso, vou deixar alguns comentários que talvez ajudem a esclarecer o motivo disso e quais as diferenças cruciais entre cada perfil.

O perfil chamado de Generalista as vezes é julgado como o profissional que não escolheu um rumo e acabou estudando de tudo, porém, nada com tanta profundidade para se tornar a solução de todos os problemas. Pensando bem, se você conhece alguém que conseguiu aprender profundamente cada ramo da TI, apresente-o por favor!

Este tipo de profissional pode ser muito desejado quando o perfil da vaga busca alguém que consiga gerenciar áreas técnicas de diferentes ramos. Exemplo, uma empresa que possui técnicos e analistas de Desenvolvimento, Banco de Dados e Infraestrutura. Para gerenciar pessoas de diferentes subáreas da TI, é necessário conhecimento mais vasto, porém, nada tão aprofundado. Quem ocupar este cargo precisará participar ativamente de todos os planos de solução e projetos de implementação e aprová-los, mas não será “a mão que o fará”. Além disso, será o elo principal para interação entre as equipes, por isso, será importante ter conhecimento em gestão de equipe (pessoas) e projetos. Geralmente uma ou outra certificação, como Cobit e ITIL e um MBA em gestão de projetos é o suficiente para estes profissionais serem reconhecidos como chefes ou gerentes (não vamos entrar no mérito de nível de profissionalismo e experiência). Além disso, possuir cursos comuns (não de certificações oficiais que exigem mais dedicação) é o suficiente para criar a base teórica necessária para os assuntos técnicos. Como o foco dele não é ter a solução de todos os problemas técnicos, deverá aprender com os componentes das equipes técnicas durante cada reunião e cada projeto; ele deve saber ouvir e perguntar com humildade sobre o assunto, entender e só então poder participar com mais propriedade.

Já o Especialista geralmente sabe muito de um assunto e quase nada de outros. Este é o perfil julgado como “O Limitado”. Você pode ser “O cara” em redes, mas quando se trata de virtualização não poderá ajudar muito.

Não existe erro em ser um especialista, pois todas as vezes que alguém, como aquele Generalista citado acima, precisar de uma solução da área na qual você é o especialista, com certeza será a referência para ele e sempre será lembrado e requisitado para solução de problemas específicos. Terá de tomar as principais decisões e apresentar os principais planos de ação da sua área, portanto, continuará tendo grandes responsabilidades e sendo importante para o mercado de trabalho. Especialistas normalmente escolhem uma área principal para se especializarem, como infraestrutura, e uma secundária para não ficarem tão limitados na oferta de soluções. Para isso, será necessário investir mais em certificações técnicas oficiais e se atualizar com mas frequência que os demais colegas.

Para ambos os casos as certificações são importantes, ambos os tipos têm seu lugar no mercado de trabalho e ambos, as vezes, são mal julgados. O que muda então?

Um perfil nunca será melhor que o outro, não existe o melhor caminho e sim o SEU CAMINHO! Pense no que tem mais facilidade de lidar, qual sua preferência técnica ou se prefere saber um pouco de tudo e lidar com mais frequência com a gestão de pessoas. Qualquer que seja sua escolha, deverá se dedicar aos estudos. É importante que mesmo em áreas técnicas você desenvolva postura de líder, mesmo que não seja, pois a decisão de algo pode cair sobre o especialista e neste momento deverá saber como proceder, se portar e se impor da maneira correta. Acima de tudo, um especialista precisa ser assertivo.


E a valorização? Planeje sua carreira e se esforce para ser competente! Esse seu projeto definirá o profissional que será, então cumpra o acordo que fez consigo mesmo! Tenha suas metas e seja objetivo ao buscá-las. Seja paciente sobre os seus planos mais distantes, mas não passivo. Quando cumprir todas as já planejadas, sente e planeje as próximas.

FONTE: CorpTV