terça-feira, 24 de março de 2015

FireWire: entenda a tecnologia, quais suas principais funções e preço


Autor: Paulo Alves


Conexões USB podem ser as mais populares entre usuários de computadores, mas não significa que ela é a melhor opção. FireWire é um padrão de conexão a cabo criado pela Apple para ser superior ao USB de várias maneiras e, embora seja difícil de ser utilizada por fabricantes, ainda se mostra uma alternativa interessante para criar redes ad-hoc ou para, simplesmente, conectar uma câmera ao computador em alta velocidade.

O FireWire, na verdade, era muito mais rápido que o USB no início de sua vida, no final dos anos 1980, quando chegava a alcançar transmissão de dados na casa dos 400 Mbit/s, enquanto o USB 1.0 ficava limitado a 12 Mbit/s. Mesmo com a chegada do USB 2.0, que passou a oferecer 480 Mbit/s de taxa de transferência, o FireWire já havia superado os 800 Mbit/s.

Apesar da diferença histórica de rapidez entre FireWire e USB, a principal vantagem da conexão criada pela companhia dona do iPhone é a sua capacidade de fazer duas máquinas se comunicarem com mais eficiência. Ao contrário do USB, que só permite transferência de arquivos de uma via de cada vez, o FireWire oferece comunicação multilateral simultânea.

Isso a torna ideal para criação de redes ad-hoc (rede de computadores na qual todos os terminais funcionam como roteadores, ou seja, eles encaminham de forma igualitária as comunicações de terminais vizinhos) com compartilhamento de conexão e para envio e recebimento de arquivos em tempo real. No geral, se os dispositivos que você quer conectar via USB tiverem porta FireWire, opte por ela. Afinal, cabos do tipo que aceitem velocidade de 800 Mbit/s podem ser adquiridos por cerca de R$ 35.

Fim do FireWire?
A velocidade alcançada por ambas as conectividades se equiparou com o lançamento do USB 3.0, já que os padrões mais recentes de FireWire que superam essa geração são pouquíssimo encontrados no mercado - antes de morrer, Steve Jobs decretou o fim do FireWire, forçando a Apple a investir em alternativas como o Lightning e o Thunderbolt.


A Microsoft parou de oferecer suporte à tecnologia desde o Windows Vista, deixando a conexão limitada ao Linux e ao Mac OS X. A Apple continua a oferecer a porta FireWire somente no MacBook Pro sem tela Retina, vendido no Brasil por R$ 6400. Portanto, se você deseja ter essa conexão e não quer gastar muito, vale mais a pena montar seu próprio PC incluindo a entrada e equipar a máquina com Ubuntu ou outra distribuição do Linux.

FONTE: CorpTV