quinta-feira, 17 de abril de 2014

Gestão de dados mestres no mundo digital

Autor: Daniel Lázaro

No mundo digital, os principais objetivos de negócios das empresas líderes estão relacionados aos clientes: é preciso entendê-los, interagir melhor com eles, fornecer-lhes boas informações, produtos e serviços, e, também, rentabilizá-los. A eles e à sua rede de relacionamento.

Além disso, essas organizações não estão esperando que novas tecnologias tornem-se completamente “maduras” e livres de erros. Assim que seu desenvolvimento atinge um ponto de relativa suficiência, começam a ser utilizadas em projetos internos, pilotos e estudos.


Outro aspecto importante das líderes é que identificam quando seus dados estão disponíveis mais rapidamente e com mais nível de detalhe para os negócios:


Existem fortes alavancas de benefícios de negócios que suportam este posicionamento de liderança, as quais são tipicamente tratadas por processos e tecnologias de Gestão de Dados Mestres (“MDM – Master Data Management”):



Como os Negócios Digitais podem se beneficiar de MDM?

ANÁLISE DE MIDIA SOCIAL
Considere um cenário onde uma organização decida analisar as mídias sociais para entender o sentimento dos clientes e vender mais produtos. Ela pode usar tecnologia de Big Data para entender a intenção de seus usuários, criando potenciais novos "clientes".

Mas, os mesmos prospects podem - ou deveriam - já saber de suas intenções. Para realizar uma análise direcionada e relevante, o ponto de partida deveria ser entender os clientes existentes através de MDM.

O FATOR "VERDADE"
O hub de MDM pode armazenar o tradicional "golden record" de informação certificada, lado-a-lado com uma visão "menos-formal" da mesma pessoa ou produto, baseado em análises de big data.

Estas duas visões podem ser combinadas para gerar uma visão mais ampla, mas também podem ser tratadas em separado em casos onde o negócio não possa tomar decisões com base em fontes "não certificadas".

PONTO DE PARTIDA PARA ANÁLISES DE CLIENTE/PRODUTO
O hub de MDM pode já informar uma organização quem são seus clientes e prospects, e este conhecimento ser usado nos demais elementos de Big Data para melhor entende-los.

Com isso a empresa pode focar em seus "produtos mais rentáveis" ou "clientes com maior margem" – utilizando a inteligência derivada do MDM.

ANÁLISE DE MÍDIA SOCIAL vs. ANÁLISE AGREGADA
O MDM pode entregar definições mestres de clientes, domicílios, relacionamentos, produtos e hierarquias para Big Data.

Quando os requisitos partem de análises agregadas (sentimento do mercado sobre uma empresa) para análises específicas (quais clientes têm intenção de comprar o produto X), torna-se necessário dispor de dados mestres para guiar as análises em Big Data.

Como MDM pode se beneficiar de Negócios Digitais?
Usando MDM como ponto de partida para definir um cliente ou produto, uma organização pode analisar fontes de Big Data (geralmente conteúdo não estruturado) em relação a novos dados para capturar relacionamentos, hierarquias, intenções, sentimentos, etc.

Um hub de MDM é onde uma organização já mantém a visão mais completa de seus clientes, produtos ou contas. Conforme vai descobrindo novas informações sobre estas entidades, o hub é o local mais adequado para armazenar estes novos insights.


Quais são os aspectos que as empresas precisam considerar?
• 1 - As organizações precisam criar, processar, analizar, interpretar e agir sobre ativos de informações coletadas de fontes emergentes, como mídias sociais e uma variedade de canais audiovisuais e plataformas móveis;

• 2 - Minerar volumes massivos de dados e seus relacionamentos pode fornecer uma enorme inteligência ao negócio;

• 3 - Com uma força de trabalho móvel cada vez mais usando mecanismos de acessos a dados mais novos e diversos – tablets, smart phones e afins, há uma demanda por dados em tempo real em campo;

• 4 - Conforme os desafios de gestão de dados vão se acumulando, há uma necessidade de estratégias mais inteligentes de gestão das informações, com menores investimentos resultando em retornos mais rápidos e mais efetivos;

• 5 - Estratégias convencionais de transformação demandam muito tempo e recursos;

• 6 - Altos custos de reengenharia e maior "time to market" impactam o ROI de forma negativa;

• 7 - Sistemas de MDM tradicionais "on-premise" que sejam intensivos em tempo e recursos, não são sustentáveis em longo prazo;

Ou seja, para big data, qualidade de dados e princípios de gestão de dados são os mesmos que, historicamente, foram usados para dados tradicionais.


Mas as prioridades devem ser mudadas. E certos processos de gestão dos dados (metadados, integração, padronização e qualidade), devem receber a devida e reforçada ênfase.

FONTE: CorpTV