quarta-feira, 7 de maio de 2014

Oito forças críticas para a estratégia de Data Center

Segundo o Gartner, a tecnologia, a importância, o papel e a funcionalidade dos Data Centers mudarão nos próximos cinco anos – o que, certamente, deixará muitas empresas em dúvida sobre como planejar as arquiteturas de seus futuros Data Centers. Para os analistas do Gartner, as preocupações técnicas, fiscais e com a entrega de serviços serão críticas e as empresas devem se planejar em torno de oito forças para construir suas melhores estratégias de Data Center.

"Nos próximos cinco a dez anos, a maioria das organizações precisará alterar a abordagem para estratégias anteriores, usadas nos últimos cinco a sete anos, na medida em que grande parte do mundo está saindo da recessão e o Nexus das Forças (Mídias Sociais, Mobilidade, Nuvem e Informação) afetam o uso da tecnologia", afirma Henrique Cecci.

Historicamente, Data Centers têm sido vistos, apenas, como centros de entrega de serviços, nos quais custos e riscos devem ser equilibrados. "A agilidade, diz Cecci, é uma terceira variável crítica que se torna cada vez mais importante no futuro".

Em termos práticos, a agilidade equivale à velocidade com a qual a área de TI responde às necessidades dos negócios, como, por exemplo, o maior uso das informações móveis e sociais para comercializar produtos ou sistemas de pagamento. A habilidade de resposta rápida a essas mudanças será o reflexo de sua agilidade.

O Gartner identificou oito aspectos a serem considerados no desenvolvimento da estratégia que equilibra custo, risco e agilidade:

1. Comece a implantar tecnologias de processamento, memória e energia eficiente
Os próximos anos trarão avanços significativos para a arquitetura de processos, e a economia dos componentes de processamento e memória mudará. A computação in-memory – na qual a localização primária para dados de aplicações é a principal memória do ambiente computacional – será mais amplamente usada, auxiliada pela memória DRAM, cada vez mais barata, e memória flash NAND. Ao mesmo tempo, o uso de processadores de baixa energia em servidores vai crescer, com potencial para reduzir, significativamente, os custos de consumo de energia.

2. Vá em direção à topologia de arquitetura equilibrada e de modelo de entrega
A arquitetura de sistemas implantada em Data Centers mudará nos próximos cinco anos e a topologia do modelo de entrega também está em transformação. O uso da Nuvem e uma variedade de fornecedores de hospedagem continuarão a crescer nos próximos anos, na medida em que as organizações mudam seus gastos de TI de despesas de capital para despesas operacionais. Os limites são cada vez mais tênues entre os tipos tradicionais de outsourcing de infraestrutura – hospedagem gerenciada, outsourcing de Data Center e serviços relacionados, como gerenciamento remoto de infraestrutura.

Para o Gartner, esses mercados vão convergir nos próximos dez anos, à medida que os fornecedores entregam, cada vez mais, seus serviços em infraestrutura de sistemas na Nuvem.

3. Invista em processos operacionais e ferramentas aprimoradas
Data Centers empresariais são centralizados e centros críticos de entrega de serviços de TI que contam com processos operacionais bem orquestrados. Isto envolve entender, documentar e revisar, constantemente, os níveis de serviço dos usuários e mapeá-los de volta para as capacidades essenciais de entrega de TI. As principais áreas de preocupação são mudanças, problemas, configuração e gestão de ativos.

Para o futuro, áreas como segurança empresarial, gestão de dados e mapeamento de processos de negócios para o núcleo dos processos de TI se tornarão ainda mais importantes – e, na medida em que a agilidade se torna cada vez mais importante para medir o valor do Data Center, melhorias nos processos operacionais são vitais.

4. Integre a recuperação de desastres e a continuidade de negócios em sua estratégia de Data Center
Um forte e bem documentado planejamento de recuperação de desastres e de continuidade de negócios é essencial para todos os grandes Data Centers, levando em consideração a turbulência socioeconômica em muitas regiões do mundo e as mudanças para a governança corporativa afetando muitas áreas de negócios. Mas, esse ponto deve evoluir de um plano de projeto separado e especializado para uma parte integral da estratégia geral.

5. Gerencie o crescimento da capacidade por meio da análise de dados
Nos próximos cinco anos, a maioria das empresas terá crescimento significativo na capacidade de hardware (armazenamento, servidores e redes), estendendo para o tráfego de rede, espaço de piso do Data Center, energia e refrigeração. Na medida em que as empresas começam a desenvolver a próxima geração de aplicações, baseadas no Nexus das Forças, haverá um aumento na demanda por sistemas de armazenamento e backup e novos papéis, como os de engenheiros de dados, por exemplo, que vão se multiplicar. Essa capacidade é uma força chave que deve ser considerada em todas as estratégias de Data Center.

6. Planeje-se para mudanças de sistema operacional e aplicações
Durante os próximos cinco anos, haverá mudanças na diversidade de sistemas operacionais na maioria dos Data Centers. Ocorrerá uma migração constante de UNIX para a plataforma Linux, o ambiente Windows continuará a crescer e o IBM Z O/S aumentará em algumas regiões e diminuirá em outras.

Essas mudanças serão significativas, causando a ruptura nas arquiteturas de hardware, designs de aplicações e níveis de serviço. O Gartner recomenda que planos de migração do UNIX comecem a partir de 2014 para todas as aplicações, exceto para aquelas com requisitos extremos de disponibilidade, latência e compliance. Outras aplicações, com informações/acessos sensíveis de clientes, podem ocorrer mais tardiamente, por volta de 2017.

7. Faça da consolidação e racionalização um programa de mudança contínua
A consolidação de Data Centers tem sido um tópico de discussões por muitos anos, mas um grande número de organizações de TI lutam para colher os reais benefícios, pois, trata-se de projetos complexos que abrangem muitos anos e, frequentemente, afetam várias aplicações. Ainda, em grandes projetos, questões organizacionais e políticas complicam.

As organizações devem posicionar essas atividades como uma mudança contínua, ao invés de um projeto individual. A otimização contínua de hardware e sites físicos significará que os grupos de infraestrutura e operações terão maior tendência a funcionar em um nível de custo otimizado. Eles serão capazes, também, de planejar melhor as mudanças, como, por exemplo, desligar um site físico.

8. Modernize as instalações do Data Center
As mudanças no ambiente de infraestrutura de hardware focaram muita atenção nas capacidades das instalações do Data Center. O problema está no volume de energia e refrigeração que as novas infraestruturas de alta densidade requerem. A maioria dos Data Centers não é projetada para tais aumentos e o crescimento proporcional nos custos não é sustentável quando são usadas as instalações antigas.

Os gerentes de Data Centers devem modernizar as capacidades de suas instalações, a fim de controlar as tecnologias de hardware emergentes e a intensificação do consumo energético como resultado do crescimento projetado no volume de servidores. Outra consideração importante é implementar ferramentas de software que reportam, gerenciam e controlam elementos de energia e refrigeração. Essas ferramentas devem ser consideradas como uma parte vital da gestão do Data Center.


"As oito forças críticas são os maiores fatores a se considerar ao desenvolver uma estratégia de Data Center", afirma Henrique Cecci. "Individualmente e em conjunto, elas determinarão o nível apropriado de risco, custos e agilidade que o Data Center irá fornecer ao negócio. Esse modelo deve ser o ponto de partida para discussões de estratégias de médio e longo prazo".

FONTE: CorpTV