quinta-feira, 24 de julho de 2014

As novas regras do social: o que fazer para impulsionar mudanças


Mais da metade do ano de 2014 já passou sem grandes novidades nas redes sociais. Embora notícias sobre aquisições de pequenas startups tenham sido anunciadas quase diariamente, os principais players realizaram mudanças no layout, algumas sutis e outras nem tanto. Surgiram novas experiências no mobile, novos algoritmos e, acima de tudo, houve um grande aumento em investimentos publicitários.

A notícia mais impactante do último trimestre de 2013 foi a mudança nos algoritmos do News Feed do Facebook, que gerou a queda do alcance orgânico durante os primeiros meses deste ano. As implicações dessas alterações ainda influenciam estratégias da própria plataforma, além das redes sociais como um todo, e deve continuar até o fim de 2014 em diante. Confira algumas questões a se considerar no segundo semestre deste ano:

Mobile em primeiro lugar
Pense na experiência do usuário de dispositivos móveis primeiro. Não importa a rede social, o mobile se tornou o principal ponto de acesso e engajamento de internautas. Um estudo realizado recentemente pela comScore mostrou que apenas duas (LinkedIn e Tumblr) entre as oito maiores plataformas eram utilizadas, pelo menos 50% do tempo, por desktop. Embora a maior parte da sociedade trabalhe utilizando computadores, muitas empresas restringem o acesso, obrigando usuários a se conectarem por smartphones e tablets.
Publicidade
Para gerar um impacto significante do seu conteúdo e mensagem, as marcas precisam começar a investir. De acordo com uma pesquisa realizada pela BIA/Kelsey, a receita de publicidade em redes sociais, nos Estados Unidos, atingiu cerca de US$ 5,1 bilhões em 2013. A estimativa é que o valor chegue a US$ 15 bilhões até 2018. Investimentos em mobile corresponderam a apenas 30% em 2013, mas a projeção é que, até 2018, o valor ultrapasse a renda destinada a desktop.


Vídeo e visual
Todas as redes sociais focaram, neste ano, em trazer uma melhor experiência visual para o usuário. Historicamente, mensagens visuais sempre tiveram mais resultados do que textos, e já que as marcas aceitaram isso, a próxima grande tendência é o vídeo. O lançamento do auto-play de vídeos do Facebook é um exemplo disso.

Conecte tudo

Entre foco em mobile, mais investimento em publicidade e mais experiências visuais, há muito a se fazer. Conetar tudo isso é o grande desafio que as equipes de marketing têm pela frente.

FONTE: CorpTV