quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Projetando um ambiente virtual com alta disponibilidade



Quando resolvemos ir para o mundo da virtualização precisamos nos atentar a alguns cuidados básicos e um deles, com certeza, é alta disponibilidade. Imagine você com todos os seus servidores virtuais rodando tranquilamente até que o host físico que está hospedando seu ambiente resolve falhar (pode acreditar, eles falham!). Como fica seu ambiente?

Quando você tem um cenário físico o máximo que vai acontecer é cair um banco de dados ou servidor de domínio. Quando falamos de ambiente virtual é comum termos 20 servidores virtuais rodando em apenas 1 servidor físico e, por mais munido de tecnologia que ele possa ser, ele está sujeito a falhas. Quando não se pensa na alta disponibilidade o sonho pode se tornar um grande pesadelo.

Para isso, precisamos nos atentar a alguns detalhes, dos quais vamos falar neste artigo.

Quantidade de Hosts físicos
Em um ambiente altamente disponível nunca podemos trabalhar com apenas 1 host físico! Nunca podemos confiar todo o ambiente a uma única máquina, fazer isso mostra no mínimo amadorismo e falta de responsabilidade. Qualquer projeto que se prese precisa iniciar com, no mínimo, 2 hosts.

Alta disponibilidade nos itens principais de cada servidor
Um servidor que vai trabalhar com virtualização de uma forma profissional precisa estar munido de algumas características básicas, que são:

- Minimo de 4 placas de rede
Fontes redundantes
- Discos HotSwap

Fora isso, seu ambiente também precisa ser um ambiente redundante. Sempre que vou projetar um novo ambiente penso em um par de PDU ligados a 2 nobreaks, cada servidor precisa ter um cabo ligado a 1 PDU e consequentemente ligado a um nobreak diferente. Além disso sempre procuro trabalhar com 2 Switches, metade das placas de rede de cada servidor ligado a 1 Switch, com isso evitamos brechas e retiramos pontos de falha em nosso ambiente.

Projetando os recursos físicos
Quando pensamos em alta disponibilidade precisamos pensar em recursos, ou seja, tudo precisa ser pensado em dobro. Se a quantidade de memória de suas máquinas virtuais chegam a um total de 100 GB, você precisará de no mínimo um ambiente com 200 GB de memória separados em 2 servidores. Digo isso porque de nada adiantar ter 200 GB em um único servidor, pois, caso ele falhe, seu ambiente todo irá falhar! Se você mantém 2 servidores com 100 GB de RAM cada, caso 1 falhe o seu ambiente será totalmente suportado pelo host que continua em pé.

Além disso, é preciso projetar o crescimento deste ambiente. Não aconselho sempre usar a configuração mínima, ou seja, se a soma de seu ambiente completo deu um total de 100 GB de RAM aconselho sempre incluir uns 30% a mais para garantir o crescimento do ambiente. O ideal e recomendado seria 50%, ou seja, 150 GB em cada servidor.

Armazenamento
Outra coisa que precisa de bastante atenção é onde serão armazenadas as suas máquinas virtuais. Ambientes alto disponíveis não podem conter VMs em HDs locais, ou seja, você precisará adquirir um storage. Quando armazenamos nossas maquinas virtuais em um storage garantimos que elas não ficam presas exclusivamente a um host, logo, caso ele caia, sua VM poderá ser facilmente levantada em outro host. Quando falamos em armazenamento precisamos nos atentar às mesmas regras de memória quando se trata em pensar no futuro: nunca compre somente o mínimo, nunca trabalhe no gargalo!

Qual hypervisor utilizar?

Eu sempre irei recomendar o VMware, porém, dentro do VMware existem algumas versões que, dependendo do tamanho do seu ambiente. será bastante útil. Caso você escolha o VMware a partir de sua versão mais básica, que é o Essentials Plus, ele já conta com HA disponível e automático, ou seja, com um ambiente VMware se um dos seus hosts físicos falha, todo seu ambiente é automaticamente reiniciado em outro host sem intervenção de sua equipe de TI.

FONTE: CorpTV