quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Social TV é mais usada entre menores de 18 anos

As mídias sociais continuam a impulsionar o engajamento da TV para os consumidores, especialmente os mais jovens. De acordo com pesquisa da Horowitz Associates entre usuários de Internet de banda larga, quase um terço (30%) dos consumidores entre 15 e 17 anos e um quarto entre 18 e 34 comentam nas redes sociais sobre o que assistem, pelo menos ocasionalmente, em comparação com apenas 10% entre aqueles com mais de 35 anos.

Entre os usuários de banda larga com 15 a 17 anos, 26% comentam sobre o que eles estão assistindo enquanto estão assistindo, em comparação com 17% daqueles com idades entre 18 e 34 anos, e 6% das pessoas acima de 35 anos.

"Agora, mais do que nunca, podemos ver que usar o poder das mídias sociais e a interação com a TV está desempenhando um papel chave em manter os espectadores mais jovens envolvidos com a experiência de TV ao vivo", disse Adriana Waterston, vice-presidente sênior de marketing e desenvolvimento de negócios da Horowitz.

Vale ressaltar que as mídias sociais também desempenham um papel importante na descoberta de novos programas, mais uma vez, especialmente entre os mais jovens. Mais de um terço dos usuários online nas faixas de 18 a 34 anos e 15 a 17 anos afirmam descobrir novos programas para assistir através das mídias sociais, pelo menos ocasionalmente (37% e 36%, respectivamente), em comparação com 19% os com mais de 35 anos. Além disso, 42% da faixa de 15 a 17 anos e quase um terço (29%) dos com 18 a 34 anos dizem que as mídias sociais ajudam a lembrar a sintonizar os programas (contra 15% daqueles com mais de 35).

"As mídias sociais têm o potencial de ampliar o engajamento, descobrir novos programas, e sintonizar os canais, mas também tem o potencial para distrair os espectadores", disse Waterston. "O desafio agora para as redes e programas é facilitar uma experiência orgânica e genuína de mídia social que envolva os seus telespectadores, desenvolva a lealdade à marca e melhore a experiência de visualização, ao invés de distrair."


Por fim, mais da metade (53%) dos usuários de banda larga maiores de 18 anos dizem que consideram uma distração quando as redes exibem comentários das mídias sociais na tela, e quase metade (48%) dizem que mesmo a exibição apenas de hash tags já é perturbador. O incômodo é menor entre usuários online de 15 e 17 anos, mas ainda considerável (44% e 37%, respectivamente).

FONTE: CorpTV