sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Redes sociais impulsionam Big Data, e gastos devem chegar a US$ 819 milhões

Para a IDC, o mercado latino-americano viveu ano passado uma fase de educação em relação ao uso das tecnologias de Big Data. Tanto é assim que os investimentos relacionados à tecnologia – hardware, software e serviços – foram elevados para US$ 450 milhões na América Latina. De acordo com a consultoria, esse nível de investimento pode ser comparado às tecnologias relacionadas com a nuvem durante 2011.

Em 2014, os analistas da IDC projetam que o Big Data se tornará um mercado com massa crítica na América Latina e estimam que os aportes na tecnologia devem quase dobrar e chegar a US$ 819 milhões. Ainda segundo a consultoria, os dados não estruturados, como aqueles gerados nas redes sociais, encontram um terreno fértil em uma região como a América Latina, que tem a maior penetração do Facebook em comparação com outras regiões do mundo.

Os estudos da IDC com usuários finais mostram que a maior parte das organizações já captura dados de áudio e vídeo na América Latina, em comparação com os Estados Unidos e, para 2014, mais de 20% das empresas de médio e grande porte da região estarão analisando o bate-papo social, vídeo e dados de geração por sensor.

A IDC também estima que, para este ano, as organizações empresariais latino-americanas irão acelerar sua curva de aprendizado para derivar, em última instância, as estratégias de marketing baseadas em métricas e análises sociais. A IDC espera que mais de 60% das empresas na região começarão a utilizar em 2014 as redes sociais públicas para comercialização/atendimento a clientes/vendas.


De acordo com a consultoria, serviços de consultoria e conferências para os mercados de Tecnologia da Informação e Telecomunicações. O investimento em TI na região será de US$ 139 bilhões, com um crescimento de 8,4% em comparação com o fechamento de 2013. Já os gastos com serviços de telecomunicações alcançarão US$ 219 bilhões, um crescimento de 8%. Tablets, smartphones, serviços de TI, armazenamento e software embutido serão as categorias de crescimento mais rápido de TI, com 34%, 18%, 11%, 11% e 10% respectivamente.

FONTE: CorpTV