quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Do “social media” ao “social business”


Autor: Lisandro Sciutto

A função das redes sociais em ambientes empresariais foi quase sempre tida como negativa, apesar da sua popularidade crescente. Os gestores temem uma queda na produtividade da sua equipe.

No início, o uso das redes sociais nas empresas foi orientado para o consumidor como ferramentas de marketing, incorporando blogs, Facebook, Twitter e YouTube e sempre centradas em capitalizar as enormes audiências atraídas por essas plataformas. Com isso, a indústria do software empresarial passou a acrescentar aplicativos de redes sociais aos sistemas sem um objetivo definido.

Atualmente sua função nas empresas tem sido mais bem aceita, embora ainda continua bastante monopolizada pelos diretores de marketing.

Os programas de marketing usam as redes sociais com sucesso, mas poucas campanhas exploram as capacidades dessas redes para suportar conversas multidirecionais.

Revelações para uma revolução
Para que as redes sociais sejam valorizadas nos ambientes empresariais é importante que sejam utilizadas de forma colaborativa (Social Media 2.0) como parte das tarefas ou integradas aos aplicativos empresariais utilizados.

Já é sabido que o uso correto das redes sociais melhora o envolvimento dos colaboradores, inclusive para tomar decisões mais acertadas através da resolução de problemas, redução dos custos, facilitação das relações com os clientes e geração de lucros.

As ferramentas de integração às redes sociais simplificam as soluções de negócio e se atrelam ao software empresarial que já conta com ferramentas para integração social. Essas soluções trabalham na intersecção entre o processo de negócio e a comunicação humana, facilitando o gerenciamento dos perfis sociais das empresas.

Aplicadas ao software de gestão empresarial, as redes sociais representam uma nova forma de promover a colaboração entre diferentes grupos. As mensagens e alertas integrados nas aplicações empresariais influenciam os processos de negócio e proporcionam valor aos usuários.

Um benefício crucial da aplicação das redes sociais ao ERP é a de que as novas gerações – muito familiarizadas com o Google, Facebook, YouTube e Twitter – poderão adotá-los e usá-los de forma instantânea, com menos formação e tempo gasto nas tarefas que desempenham.

Um sistema ERP definido pelo usuário, por exemplo, funciona da mesma forma como o Facebook e o Twitter ― através da seleção de feeds. Quem utiliza a rede social pode acompanhar dados pertinentes para a sua função na empresa e receber informação constante sobre o que for relevante para ele.

Uma das inovações das ferramentas das redes sociais é a inserção do conceito de fluxos ― canais de comunicação ― que permitem organizar os processos de trabalho na companhia. Os passos para a execução de cada atividade são definidos pela própria empresa que conhece melhor o dia a dia das atividades que desenvolve. Isso possibilita acelerar os processos de comunicação, além de permitir criar definições mais claras dos fluxos de trabalho. São ferramentas colaborativas, que adicionam controle aos processos e abrem a possibilidade para adicionar pessoas que estão fora da empresa, sem que isso comprometa a segurança da rede de comunicação.

Uma reforma significativa
O ERP já merecia uma reforma. Incorporando as redes sociais para assegurar que qualquer usuário esteja a apenas a um clique de distância do mundo de outro usuário, o software empresarial conseguiu uma transformação sem precedentes ― de redes sociais para negócios sociais.

A produtividade é ampliada, pois otimiza-se o tempo gasto para realizar cada tarefa. Os aplicativos próprios do ERP e das ferramentas das redes sociais permitem utilizar Big Data para prever ações e comportamentos dos prospects ou clientes. Soluções inovadoras também recorrem aos KPIs – Indicadores chave de Desempenho (Key Performance Indicators) que, por sua vez, somam-se a recursos que permitem identificar com mais agilidade o que os usuários estão falando sobre sua empresa, auxiliam num melhor gerenciamento de sua marca nas mídias sociais e simplificam a definição de estratégias.

À medida que o volume e a variedade de dados continuam a aumentar e as decisões precisam ser tomadas mais rapidamente e de forma mais inteligente, as redes sociais desempenham um papel crucial na empresa – não apenas para o marketing, mas nos sistemas que suportam funções essenciais de back office.

Ao estimular o empenho do internauta, a capacidade de tomar as melhores decisões e de aumentar a produtividade, o sucesso dos negócios sociais no local de trabalho pode estar apenas no seu início.

Informações da Empresa: a CorpTV é uma empresa especializada na tecnologia Streaming (Transmissão de dados - vídeo/áudio) para a criação de soluções de comunicação corporativa à distância e transmissão de eventos corporativos e comerciais via internet ou intranet(Videoconferências Ponto-a-Ponto ou Multiponto, Webconferência, Webcast, etc).

FONTE: CorpTV