terça-feira, 30 de setembro de 2014

Startupês: os significados de 20 termos comuns no mundo das startups


Autora: Livia Maria

Hoje, não apenas no Brasil, estamos vivendo um momento extremamente promissor e frutífero para os desenvolvedores de startups. Em plena expansão, esse mercado oferece grandes oportunidades para os empreendedores e investidores. E, ao mesmo tempo, traz também todo um universo de novos termos que podem não ser muito familiares a que está chegando à área agora.

Para dar uma ajudinha, separamos 20 termos que consideramos mais comuns no mundo das startups e explicamos os significados.

Confira:

Pitch
O pitch é uma apresentação com duração de 3 a 5 minutos, com o objetivo de conquistar investidores para um negócio. É o momento em que o empreendedor vai buscar convencer o investidor ou potencial cliente de que sua ideia é mais que uma ideia e tem uma proposta de valor.

Elevator Pitch
O elevator pitch tem o mesmo conceito do pitch, porém de forma mais rápida: a apresentação deve durar o tempo médio que permanecemos em um elevador - entre 30 segundos e 1 minuto.

Pivotar
O termo "pivotar" vem do verbo em inglês to pivot ("mover" ou "tirar do eixo") e significa uma mudança radical no rumo do negócio. Ou seja, quando alguém "pivota" uma ideia, significa que ela está mudando os planos e estratégias que foram pensadas anteriormente para o negócio, que podem não ter dado os resultados esperados.

Investidor-anjo
Um investidor-anjo é um profissional com experiência na área e capital disponível que resolve investir em alguns empreendimentos. Em troca, ele, geralmente, passa a ter um percentual da empresa em que investiu.

Incubadora
As incubadoras são projetos ou empresas que visam ajudar na criação ou desenvolvimento de pequenas empresas, apoiando-as nos primeiros estágios de vida. Em muitos países, as incubadoras são financiados pelo governo como parte da estratégia de desenvolvimento econômico.

Aceleradora
As aceleradoras são a versão mais moderna das antigas incubadoras, mas que, diferentemente destas, são financiadas por empresas sem fins lucrativos ou por capital privado. Em troca, as aceleradoras podem receber ações das empresas que ajudou.

Modelo de negócio
É a forma pela qual uma companhia adiciona valor e potencial de atração para os seus principais públicos-alvo, ajudando a observar os diversos elementos que compõem todas as formas do empreendimento.

Plano de negócio
Geralmente escrito por empreendedores quando desejam iniciar um negócio, o plano de negócio especifica, de forma escrita, a ideia do empreendimento. Além de reunir informações sobre a estruturação da empresa no início da mesma, pode ajudar a informar sobre o empreendimento a investidores de risco.

Produto viável mínimo (MVP)
É a versão mais simples do produto que sua empresa deseja lançar, desenvolvido com uma quantidade mínima de esforço e tempo. O MVP ajuda os empreendedores a iniciarem o processo de aprender da forma mais rápido possível, pois, diferentemente do protótipo, ele não é concebido apenas para testar design ou especificidades técnicas, mas estratégias fundamentais para o negócio.

Coworking
É um modelo de trabalho baseado no compartilhamento de espaço e recursos de escritório. Surgiu como uma alternativa para solucionar os problemas do home office, reunindo pessoas que não trabalham necessariamente na mesma empresa em um espaço produtivo.

Mentor
Os mentores são empreendedores de sucesso, especialistas e outros profissionais do mercado, com experiência e conhecimento sobre empreendedorismo. Eles apoiam os projetos de novos empreendedores, direcionando-os para o bom desenvolvimento da companhia.

Private equity
É um modeo de atividade financeira onde investidores atuam como financiadores de empresas que ainda não estão listadas na bolsa de valores, visando alavancar o seu desenvolvimento.

Venture capital
São investimentos realizados em empresas já estabelecidas no mercado, mas de pequeno e médio portes. Com foco em empresas inovadoras de tecnologia, os recursos são usados para financiar as primeiras expansões das companhias.

Rodada de negócios
As rodadas de negócios são eventos que reúnem comunidades, associações, empresários e cooperativas visando a compra e venda de produtos. Os eventos são ótimas oportunidades para as empresas apresentarem seus produtos para compradores que ainda não conhecem e estabelecerem novos vínculos comerciais.

Startup
Uma startup é uma empresa com histórico operacional limitado, geralmente recém-criadas ou em fase de desenvolvimento, que contam com projetos inovadores e promissores para o mercado em que desejam atuar. Um detalhe importante: precisam ser de alto impacto.

Lean startup
A lean startup ou startup enxuta é aquela que se foca em desenvolver protótipos rápidos e testá-los no mercado, contando, para isso, com grande participação da clientela com seu feedback. Uma startup enxuta tem forte compromisso com a máxima redução de custos e trabalho para atingir seus objetivos, evitando desperdícios e otimizando recursos.

Tração
A tração é o impulso que uma companhia ganha à medida que progride no mercado, medido através da resposta dos clientes e das finanças, embora não haja nada específico para medir esse sucesso.

Founder
O founder é o empresário que criou o negócio, o fundador. A palavra originalmente significa “aquele que forja o aço”. Assim, da mesma forma, o founder de uma empresa está forjando a nova companhia.

Co-founder
O co-founder é alguém que, em conjunto com uma ou duas outras pessoas, é fundamental para iniciar um negócio ou empresa. Cada pessoa envolvida na criação da entidade é considerada um co-founder.

Sumário executivo
O sumário executivo é a primeira seção do seu plano de negócios, com detalhes e informações que irão despertar o interesse do possível investidor a prosseguir com as negociações. Deve ser a última parte do plano a ser redigida e deverá ser escrita em diferentes versões para atender a diferentes funcionalidades (financiamento, parceiros, clientes etc).

Aporte
O aporte pode ser uma ajuda financeira para as empresas que estão, na maioria dos casos, ainda sem caixa, ou para alavancar empreendimentos já estabelecidos. Entretanto, o termo pode designar outros tipos de ajuda também, como "aporte de conhecimento".

Business Model Canvas

Inicialmente proposto por Alexander Osterwalder, o Business Model Canvas é uma ferramenta de mapeamento de todas as áreas de uma empresa. É utilizado para o gerenciamento estratégico, permitindo esboçar e desenvolver modelos de negócios novos ou já existentes.

FONTE: CorpTV