segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

A próxima geração de Cloud Computing

O ambiente moderno de cloud computing demanda por performance, resiliência e escalabilidade. A próxima geração de infraestrutura convergida caminha para oferecer exatamente isso.

Fabricantes estão permitindo um salto no desempenho em nuvem por meio de armazenamento convergente, redes e sistemas de servidores. Vamos traçar um panorama sobre este cenário:

- Armazenamento: para enfatizar apenas, as plataformas tradicionais de armazenamento não estão acabando. Mas, através da incorporação de SSD e matrizes com base em flash, os administradores são capazes de utilizar sistemas convergentes de forma mais inteligente. Na criação de pools de armazenamento, por exemplo, os dados podem ser posicionados sobre o tipo ideal de armazenamento. Isso significa que os dados podem ser acedidos fortemente colocados em matrizes de flash, enquanto que os outros pontos de dados que apenas necessitam de armazenamento tradicional podem ser colocados em discos de spinning mais lento.

- Networking: a grandeza de um sistema convergente está na taxa de transferência de rede pode entregar. Já estamos vendo capacidades de rede na ordem das centenas de Gigabit. Switches e interconexões permitem que os dados passem através da camada de rede com menos quantidades de saltos. Juntar isso com uma melhor infraestrutura convergente global e as possibilidades para uma maior otimização de desempenho será algo bastante viável. A camada de rede continuará a ser uma parte crítica do sistema convergente. Como as tendências em torno da nuvem, e a atividade do usuário e os dados que residem na plataforma continuam a aumentar, os backplanes de rede terão que lidar de forma mais alicerçada com as demandas de transferência.

- Computação: a camada de computação dentro da plataforma convergente de próxima geração continuará a evoluir. Já as lâminas são capazes de utilizar vários terabytes de memória RAM e um pouco de rendimento networking. A consolidação do datacenter resultou em ambientes “lâmina” eficientes, que agora estão diretamente integrados em toda a plataforma de infraestrutura convergente. Ao ligar diretamente em um backplane chassis, essas lâminas são capazes de escalar muito rapidamente e entregar altos níveis de resiliência. Os sistemas modernos podem lidar com múltiplas falhas de hardware, enquanto continuam a fornecer uma experiência suave para o usuário final.

- Combinando lógica e física: este é o lugar onde as plataformas convergentes realmente apresentam seus melhores benefícios. A nuvem de hoje gira em torno de tecnologias de virtualização e datacenters modernos. Os sistemas de infraestrutura convergente não só permitem maiores controles da plataforma virtuais, mas estão virtualizando o sistema convergente inteiro. Com a criação de serviços inteligentes e perfis de hardware, as organizações podem criar modelos de datacenter que permitem que um perfil de serviço seja automaticamente reprovisionado de um conjunto de lâminas ou chassis para apoiar os usuários em um lado diferente do mundo. Organizações já estão adotando ativamente plataformas de infraestrutura convergente para alcançar maiores valores de eficiência de infraestrutura. Junte isso com os recursos apresentados no sistema de convergência real e você terá soluções muito poderosas que poderão:

- Trazer a nuvem para o limite: Você já ouviu falar de Fog (neblina, em inglês)? A Computação Edge – também conhecida como Fog – permite que organização implante plataformas mais próximas do usuário final. Em vez de entregar sistemas independentes, as organizações podem implantar uma infraestrutura convergente para fins específicos. Com isso, streaming de conteúdo ou cache, por exemplo, permitem que empresas de TI tragam grandes quantidades de dados para muito mais próximo do usuário.

- Criar ambientes de nuvem micro e ramificados: muitas organizações querem crescer e expandir tanto a sua rede ou seu ambiente de nuvem privada. Uma maneira de alcançar este objetivo é implantar uma micronuvem. Semelhante a uma configuração de Fog, estes pequenos sistemas convergentes podem ser considerados como um “cloud-in-a-box “, que permitem às empresas ampliarem seus negócios de forma rápida e eficiente.

- Entregar mais aplicativos e dados: sistemas convergentes possuem recursos para virtualizar ainda mais aplicativos e desktops. As plataformas virtuais situam-se diretamente no coração da nuvem. Assim, os ambientes de infraestrutura convergente serão capazes de oferecer ainda mais recursos para cargas de trabalho virtuais, que vão melhorar a densidade, a performance e a experiência geral do usuário. Os ambientes tradicionais de servidor ainda permanecerão; o futuro da nuvem e das plataformas de data center será construído em sistemas convergentes da próxima geração.


- Controlar big data: há uma enorme iniciativa dentro das organizações para desenvolver um melhor controle dobig data e otimizar o business intelligence. Desse modo, sistemas de infraestrutura convergente podem ser implantados especificamente para esta finalidade.

FONTE: CorpTV