sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Pesquisa mostra os 20 fatos fundamentais para se compreender os internautas do Brasil em 2013

Dados compilados recentemente pelo IAB Brasil no seu último relatório Indicadores de Mercado oferecem insights rápidos que podem ser úteis para a concepção da sua próxima campanha. Lemos atentamente esse relatório para analisar os dados que parecem ter um impacto maior para profissionais de mídia, marketing e publicidade e os discriminamos abaixo.

Onde está a concorrência?
Usando dados divulgados pelo IBOPE, o IAB Brasil indicou que cinco setores respondem por 64% dos investimentos em publicidade on-line no Brasil:

1- Serviços de Telecomunicações
2- Higiene Pessoal e Beleza
3- Serviços ao Consumidor
4- Automóveis, Peças e Acessórios para Automóveis
5- Mercado Financeiro e Seguros

Em outra matéria publicada em junho, apresentamos uma lista discriminada dos maiores anunciantes do Brasil em todos os tipos de mídias em 2012 e incluímos nessa lista as empresas com o maior número de impressões de anúncios display.

Mais marcas estão investindo na internet
Segundo as projeções do IAB Brasil, os investimentos gerais em publicidade on-line no Brasil somarão R$ 6 bilhões (US$ 2,58 bilhões) em 2013, o que representa um aumento de mais de 30% em relação aos R$ 4,5 bilhões (US$ 1,9 bilhão) investidos em 2012. Em 2013, a publicidade por busca contabilizará R$ 3,8 bilhões, soma que representa 63% dos investimentos totais com anúncios on-line no Brasil, contra R$ 2,2 bilhões em anúncios display.

Recentemente, a eMarketer previu um aumento de 28% nos investimentos em publicidade on-line no Brasil em 2014 e também que a publicidade na internet responderá por 14% de todos os investimentos publicitários no país.

Os dispositivos móveis estão se aproximando dos computadores de mesa como os pontos de acesso à internet mais usados no Brasil
Em 2009, 90% dos internautas brasileiros entrava na internet usando computadores de mesa e apenas 15% usavam um laptop, notebook ou netbook — uma diferença de 75%. Apenas 1% utilizava um celular e a prática de acessar a internet com um smartphone era tão rara no Brasil naquele ano que as estatísticas de acesso à rede a partir de smartphones não eram sequer divulgadas. Em 2013, no entanto, 44% dos brasileiros estão usando laptops, notebooks ou netbooks para acessar a internet, enquanto 68% usam computadores de mesa: a diferença entre esses dispositivos caiu para apenas 24%, deixando o registro anterior de 75% para trás. Além disso, 11% dos brasileiros usaram smartphones para acessar a internet em 2013.

A eMarketer projeta também que o Brasil terá 72 milhões de internautas de celular em 2014 e que esse número crescerá para 121 milhões em 2017.

A internet influencia profundamente as decisões de compra dos brasileiros
O relatório Indicadores de Mercado cita dados da TG.Net de março e abril de 2013, os quais indicam o seguinte:

- 68% dos brasileiros afirmam que a Internet os ajuda mais a decidir o que comprar do que a televisão

- 68% dos brasileiros afirmam que a internet fornece informações sobre produtos que não podem ser encontradas em nenhum outro lugar

- 67% dos brasileiros estão acostumados a navegar na internet antes de comprar um produto

- 60% dos brasileiros procuram informações on-line quando pretendem, numa próxima ocasião, gastar mais do que R$ 1.500 (US$ 642) com um produto

Muitos brasileiros gostam da publicidade on-line
Os dados da TG.Net revelam que a postura dos brasileiros em relação a anúncios on-line é positiva:

- 47% dos brasileiros afirmam que banners de anúncios on-line os ajudam a encontrar coisas interessantes na internet

- 42% dos brasileiros afirmam que a publicidade on-line é mais interessante do que outros tipos de publicidade

- 41% dos brasileiros afirmam que os anúncios on-line são mais relevantes do que outros tipos de anúncios

- 38% dos brasileiros afirmam que anúncios veiculados em redes sociais influenciam as marcas dos produtos que compram

- 35% dos brasileiros afirmam que prestam mais atenção em anúncios em vídeos on-line do que em outros tipos de anúncios veiculados pela internet

Os produtos sobre os quais os brasileiros mais buscam informações quando entram na internet são celulares, livros, produtos tecnológicos para o lar, como televisores ou aparelhos de DVD, eletrodomésticos, como fornos de microondas, e produtos tecnológicos de uso pessoal, como câmeras digitais e consoles de jogos portáteis. Essas verificações são as indicadas pelos dados divulgados pela TG.Net. No entanto, segundo a e-bit, empresa que monitora o e-commerce no Brasil, as cinco categorias de produtos que os brasileiros mais compraram on-line no primeiro semestre de 2013 foram as seguintes:

- Roupas e acessórios
- Eletrodomésticos
- Cosméticos e perfumes
- Produtos de tecnologia
- Livros e assinaturas de revistas

Os livros são a sensação do e-commerce no Brasil
Os cinco produtos que os brasileiros mais compram pelo comércio eletrônico são os seguintes:

- Livros
- Celulares
- Roupas ou joias
- Eletrodomésticos
- Produtos de saúde e beleza

Inteligência para marketing de busca (SEM) no Brasil
Os dados da TG.Net revelam os cinco produtos que os brasileiros mais buscam informações a respeito na internet:

- Celulares
- Livros
- Tecnologia para o lar (TV, consoles de videogame, aparelhos de DVD)
- Eletrodomésticos (fornos de microondas, torradeiras)
- Tecnologia de uso pessoal (aparelhos de MP3, câmeras digitais)

Os tipos favoritos de sites para os brasileiros
Embora a seleção de sites deva ser, obviamente, customizada para cada campanha de acordo com o seu objetivo específico, é útil compreender os tipos de sites que a maioria dos internautas brasileiros gosta de visitar quando entra na internet. Dados da Nielsen, IBOPE e Netview revelam as 15 categorias de sites mais visitadas por brasileiros e quantos visitantes únicos cada categoria atraiu em outubro de 2013:

- Motores de busca (51 milhões)
- Lazer (47,2 milhões)
- Serviços de telecomunicações e de internet (46,6 milhões)
- Computadores e produtos eletrônicos (43,5 milhões)
- Notícias e informação (37,8 milhões)
- Comércio de múltiplas categorias (36,2 milhões)
- Sites governamentais e de organizações sem fins lucrativos (28,4 milhões)
- Educação e carreiras (28,2 milhões)
- Finanças, seguros e investimentos (27,5 milhões)
- Informações empresariais (27,2 milhões)
- Família e estilos de vida (27 milhões)
- Casa e moda (24,3 milhões)
- Viagens (23,3 milhões)
- Ocasiões especiais (12,9 milhões)

- Automóveis (10,7 milhões)

FONTE: CorpTV